EnglishPortuguese

Por que o vinho pode mudar o gosto e o aroma nas alturas?

Vinhos disponíveis em vôo da Amaro Aviation.

Compartilhe

Servir um bom vinho a bordo de um jato executivo é um desafio diário dos serviços de catering, que são responsáveis pelo fornecimento de alimentos e bebidas para companhias de aviação. Geralmente, essas empresas pedem para que o cliente faça a solicitação da bebida alcóolica com antecedência.

Isso acontece porque o paladar pode mudar nos ares. A cerca de 30 mil pés de altitude (em torno de 10 quilômetros), o olfato e o paladar mudam, por conta da umidade de aproximadamente 15%, o que resseca as membranas mucosas do nariz, reduzindo a apreciação do olfato. A pressão mais baixa na aeronave também contribui para isso.

A perda da sensibilidade pode chegar a 30%. Por esse motivo, os aromas são muito menos proeminentes nas alturas. Um vinho menos aromático parecerá quase neutro durante o voo, enquanto um vinho mais rico parecerá mais agradável.

Diferenças no gosto

Já em relação ao paladar, quando o passageiro prova um vinho na lounge e depois bebe esse mesmo vinho a bordo, o gosto muda. No primeiro gole, já é possível notar a mudança no sabor.

A doçura do vinho também pode sofrer alterações. Um vinho meio seco parecerá ser quase seco nas nuvens. O álcool também perde força. O vinho opulento (com taninos suaves e acidez mais baixa) parece muito mais leve a bordo do que no solo. Esse pode ser um fator preocupante, pois álcool faz efeito mais rápido na atmosfera de baixa pressão de um avião. Assim, o passageiro pode ficar tonto mais rapidamente.

Ainda sobre o gosto do vinho, a acidez é mais proeminente no ar do que no solo. Um vinho muito seco com alta acidez pode ter um gosto mais azedo no avião. Isso explica porque alguns passageiros preferem vinhos com acidez suave ou bem integrada. Já os taninos parecem mais firmes no ar e um vinho tânico pode aparentar ser mais amargo ao beber.

Porque essas mudanças acontecem?

No avião, há uma aceleração que pressiona o corpo, aumentando a vibração. Desta forma, o apetite por carboidratos é enorme, para garantir o fornecimento de energia. Além dos efeitos sobre o corpo, deve-se levar em consideração que os taninos têm um efeito tranquilizante, que também altera a sensibilidade no paladar.

Explore mais