EnglishPortuguese

Museu Aeroespacial no RJ tem réplica do 14-Bis, exposições temáticas e materiais históricos – Amaro Aviation

Réplica do 14 BIS no museu Aeroespacial

Compartilhe

O Brasil tem uma história riquíssima na aviação mundial, principalmente pelo pioneirismo da Embraer, no que diz respeito à tecnologia aeronáutica, e o legado do inventor Santos Dumont. Para os entusiastas do setor, há diversos locais para visitar no país, que resguardam a história da aviação brasileira, com aeronaves raras e itens pouco conhecidos.

Entre eles está o Museu Aeroespacial (Musal), localizado no Campo dos Afonsos, na zona oeste do Rio de Janeiro (RJ), e subordinado administrativamente ao Instituto Histórico-Cultural da Aeronáutica – INCAER. O local é considerado o berço da aviação no país, pois sediou a primeira organização aeronáutica brasileira: o Aeroclube Brasileiro, fundado em 1911.

O museu conta com diversos eventos abertos ao público e gratuitos, além de exposições itinerantes e de longa duração. A programação pode ser consultada pelo site. Uma das exibições fixas é a da Esquadrilha da Fumaça, que traz o lendário Avião T6D-1959, que pertenceu ao ex-líder do Esquadrão, Cel. Antonio Arthur Braga. A mostra também conta com fotografias de diversas aeronaves utilizadas pela esquadrilha, desde 1956.

Vale passar também pela exposição sobre as mulheres na aviação, que reúne fotos, painéis e objetos pessoais, como medalhas, uniformes e documentos das diversas turmas que contribuíram para o engrandecimento da Força Aérea Brasileira.

Há também uma exibição dedicada à história de Santos Dumont, com resumo sobre sua vida e curiosidades. Neste acervo, há uma maquete em formato de asa delta, feita por Dumont, que permite fazer uma comparação com os modelos de jatos atuais.

Exposição de aeronaves

O Musal traz a réplica do icônico 14-Bis, construída pelo Parque de Material Aeronáutico dos Afonsos em 1973. O 14-Bis foi o primeiro avião a conseguir decolar por seus próprios meios.

O acervo traz ainda o AERO BOERO 180 – G-180, que foi utilizado em missões de reboque de planadores do Clube de Voo à Vela da Academia da Força Aérea Brasileira até ser desativado e incorporado ao acervo do Museu Aeroespacial em 2012. Outro destaque é o Bandeirante YC-95 IPD/PAR-6504 – EMB 100, aeronave que deu origem ao Embraer 100. A aeronave voou pela primeira vez em 22 de outubro de 1968.

No museu também é possível conferir o FOUGA C.M.170 MAGISTER, um avião para dois tripulantes, destinado ao treinamento primário. Voou pela primeira vez em 1952. É o primeiro jato do mundo construído especificamente para treinamento básico de pilotos.

História

O Musal foi inaugurado em 1976, mas a ideia de criar um museu destinado à aviação vem antes disso. Em 1943, o então ministro da aeronáutica, Salgado Filho, determinou organização do espaço, mas os trabalhos foram interrompidos, por falta de local físico para as instalações.

Em 1973, o presidente Emílio Garrastazu Médici criou o Núcleo do Museu Aeroespacial, por meio do Decreto nº 72.553, atendendo aos pedidos do tenente-brigadeiro Joelmir Campos de Araripe Macedo, ministro da aeronáutica. No ano seguinte, o Musal começava a ser construído, com a restauração do prédio e hangares da antiga Divisão de Instrução de Voo  da Escola de Aeronáutica. Em paralelo à revitalização do local, havia a coleta do acervo, restauração de aviões, motores, armas e outras peças de valor histórico. Depois da reforma e organização, o museu abriu as portas para o público no dia 18 de outubro de 1976.

Visitas

O museu é aberto ao público e funciona de terça a domingo, das 9h às 16h. Já as visitas em grupo, para mais de 15 pessoas, que desejarem ser acompanhadas por um guia necessitam de agendamento prévio. Saiba como agendar.

Entrada e estacionamento são gratuitos.

A Amaro Aviation reconhece a importância da preservação e divulgação do material aeronáutico e documentos históricos para as futuras gerações da aviação.

Explore mais